“YÁ SIN”

Revelada em Makka, 83 versículos, com exceção do 45,
revelado em Madina.
36ª SURATA
Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.
1 Yá, Sin.(1340)
2 Pelo Alcorão da Sabedoria.
3 Que tu és dos mensageiros,
4 Numa senda reta.
5 É uma revelação do Poderoso, Misericordiosíssimo.
6 Para que admoestes um povo, cujos pais não foram
admoestados e permaneceram indiferentes.
7 A palavra provou ser verdadeira sobre a maioria deles,
pois que são incrédulos.
8 Nós sobrecarregamos os seus pescoços com correntes
até ao queixo, para que andem com as cabeças hirtas.
9 E lhes colocaremos uma barreira pela frente e uma
barreira por trás, e lhes ofuscaremos os olhos, para que
não possam ver.
10 Tanto se lhes dá que os admoestes ou não; jamais
crerão.
11 Admoestarás somente quem seguir a Mensagem e
temer intimamente o Clemente; anuncia a este, pois, uma
indulgência e uma generosa recompensa.
12 Nós ressuscitaremos os mortos, e registraremos as
suas ações e os seus rastros, porque anotaremos tudo
num Livro lúcido.
13 E lembra-lhes a parábola dos moradores da cidade(1341)
,
quando se lhes apresentaram os mensageiros.
14 Enviamos-lhes dois (mensageiros), e os desmentiram;
e, então, foram reforçados com o envio de um terceiro; (os
mensageiros) disseram-lhes: Ficai sabendo que fomos
enviados a vós.
15 Disseram: Não sois senão seres como nós(1342)
, sendo
que o Clemente nada revela que seja dessa espécie; não
fazeis mais do que mentir.
16 Disseram-lhes: Nosso Senhor bem sabe que somos
enviados a vós.
17 E nada nos compete, senão a proclamação da lúcida
Mensagem.
18 Disseram: Auguramos a vossa desgraça(1343)
e, se não
desistirdes, apedrejar-vos-emos e vos infligiremos um
doloroso castigo.
19 Responderam-lhes: Que vosso augúrio vos acompanhe!
Maltratar-nos-eis, acaso, porque fostes admoestados?
Sois, certamente, um povo transgressor!
20 E um homem, que acudiu da parte mais afastada da
cidade, disse: Ó povo meu, segui os mensageiros!
21 Segui aqueles que não vos exigem recompensa alguma
e são encaminhados!
22 E por que não teria eu de adorar Quem me criou e a
Quem vós retornareis?
23 Deverei, acaso, adorar outros deuses em vez d’Ele? Se
o Clemente quisesse prejudicar-me, de nada valeriam as
suas intercessões, nem poderiam salvar-me.
24 (Se eu os adorasse), estaria em evidente erro.
25 Em verdade, creio em vosso Senhor, escutai-me pois!
26 Ser-lhe-á dito: Entra no Paraíso! Dirá então: Oxalá meu
povo soubesse,
27 Que meu Senhor me perdoou e me contou entre os
honrados!
28 E depois dele não enviamos a seu povo hoste celeste
alguma, nem nunca enviaremos.
29 Foi só um estrondo, e ei-los inertes!, feito cinzas,
prostrados e silentes.
30 Ai dos (Meus) servos! Não lhes foi apresentado
mensageiro algum sem que o escarnecessem!
31 Não reparam, acaso, em quantas gerações, antes
deles, aniquilamos? Não retornarão a eles.
32 Todos, unanimemente, comparecerão ante Nós.
33 Um sinal, para eles, é a terra árida; reavivamo-la e
produzimos nela o grão com que se alimentam.
34 Nela produzimos, pomares de tamareiras(1344)
e
videiras, em que brotam mananciais,
35 Para que se alimentem dos seus frutos, coisa que suas
mãos não poderiam fazer. Não agradecerão?
36 Glorificado seja Quem criou pares de todas as
espécies(1345)
, tanto naquilo que a terra produz como no
que eles mesmos geram, e ainda mais o que ignoram.
37 E também é sinal, para eles, a noite, da qual retiramos
o dia, e ei-los mergulhados nas trevas!
38 E o sol, que segue o seu curso até um local
determinado. Tal é o decreto do Onisciente,
Poderosíssimo.
39 E a lua, cujo curso assinalamos(1346)
em fases, até que
se apresente como um ramo seco de tamareira(1347)
.
40 Não é dado ao sol alcançar a lua(1348)
; cada qual gira em
sua órbita; nem a noite, ultrapassar o dia.
41 Também é um sinal, para eles, o fato de termos levado
os seus concidadãos na arca carregada.
42 E lhes criamos similares a ela, para navegarem.
43 E, se quiséssemos, tê-los-íamos afogada, e não teriam
quem ouvisse os seus gritos, nem seriam salvos,
44 A não ser com a nossa misericórdia, como provisão, por
algum tempo.
45 E quando lhes é dito: Temei o que está antes de vós e o
que virá depois de vós, talvez recebereis misericórdia,
(desdenham-no)
46 Não lhes foram apresentados quaisquer dos versículos
do seu Senhor, sem que os desdenhassem!
47 E quando lhes é dito: Fazei caridade daquilo com que
Deus vos agraciou!, os incrédulos dizem aos fiéis:
Havemos nós de alimentar alguém a quem, se Deus
quisesse, poderia fazê-lo? Certamente estais em evidente
erro.
48 E dizem (mais): Quando se cumprirá essa promessa?
Dizei-no-lo, se estiverdes certos.
49 Não esperam nada, a não ser um estrondo que os
fulmine enquanto estão disputando.
50 E não terão oportunidade de deixar testamento, nem de
voltar aos seus.
51 E a trombeta será soada(1349)
, e ei-los que sairão dos
seus sepulcros e se apressarão para o seu Senhor.
52 Dirão: Ai de nós! Quem nos despertou do nosso
repouso? (Ser-lhes-á respondido): Isto foi o que prometeu
o Clemente, e os mensageiros disseram a verdade.
53 Bastará um só toque (de trombeta), e eis que todos
comparecerão ante Nós!
54 Hoje nenhuma alma será defraudada, nem sereis
retribuídos, senão pelo que houverdes feito.
55 Em verdade, hoje os diletos do Paraíso estarão em
júbilo.
56 Com seus consortes, estarão à sombra, acomodados
sobre almofadas.
57 Aí terão frutos e tudo quanto pedirem.
58 Paz! Eis como serão saudados por um Senhor
Misericordiosíssimo.
59 E vós, ó pecadores, afastai-vos, agora, dos fiéis!
60 Porventura não vos prescrevi, ó filhos de Adão, que não
adorásseis Satanás, porque é vosso inimigo declarado?
61 E que Me agradecêsseis, porque esta é a senda reta?
62 Não obstante, ele desviou muita gente, dentre vós. Por
que não raciocinastes?
63 Eis aí o inferno, que vos foi prometido!
64 Entrai nele e sofrei hoje, por vossa descrença.
65 Neste dia, selaremos as suas bocas; porém, as suas
mãos Nos falarão, e os seu pés confessarão tudo quanto
tiverem cometido.
66 E, se quiséssemos, ter-lhes-íamos cegado os olhos;
lançar-se-iam, então, precipitadamente pela senda. Porém,
como a veriam?
67 E se quiséssemos, tê-los-íamos transfigurado em seus
lares e não poderiam avançar, nem retroceder.
68 E se concedemos vida longa a alguém reverter-lheemos
a natureza: não o compreendem?
69 E não instruímos (o Mensageiro) na poesia, porque não
é própria dele. O que lhe revelamos não é senão uma
Mensagem e um Alcorão lúcido,
70 Para admoestador quem estiver vivo, e para que a
palavra seja provada, a respeito dos incrédulos.
71 Porventura, não reparam em que entre o que Nossas
Mãos fizeram (entre outras coisas) está o gado, de que
estão de posse?
72 E os submetemos a eles (para seu uso)? Entre eles, há
os que lhes servem de montarias e outros de alimento.
73 E deles obtêm proveitos (outros) e bebidas (leite). Por
que, então, não agradecem?
74 Todavia, adora outras divindades, em vez de Deus, a
fim de que os socorram!
75 Porém, não podem socorrê-los; outrossim, são eles que
serão trazidos como legiões(1350)
.
76 Que seus dizeres não te atribulem, porque conhecemos
tanto o que ocultam, como o que manifestam.
77 Acaso, ignora o homem que o temos criado de uma
gota de esperma? Contudo, ei-lo um oponente declarado!
78 E Nos propõe comparações e esquece a sua própria
criação, dizendo: Quem poderá recompor os ossos,
quando já estiverem decompostos?
79 Dize: Recompô-los-á Quem os criou da primeira vez,
porque é Conhecedor de todas as criações.
80 Ele vos propiciou fazerdes fogo de árvores secas, que
vós usais como lenha.
81 Porventura, Quem criou os céus e a terra não será
capaz de criar outros seres semelhantes a eles? Sim!
Porque Ele é o Criador por excelência, o Onisciente!
82 Sua ordem, quando quer algo, é tão-somente: Seja!, e
é.
83 Glorificado seja, pois, Aquele em Cujas Mãos está o
domínio de todas as coisas, e a Quem retornareis.