“AL AHCAF” (AS DUNAS)

Revelada em Makka; 35 versículos, com exceção dos
versículos 10, 15 e 35, que foram revelados em Madina.
46ª SURATA
Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.
1 Ha, Mim.(1487)
2 A revelação do Livro é de Deus, o Poderoso, o
Prudentíssimo.
3 Não criamos os céus e a terra e tudo quanto existe entre
ambos, senão com prudência, para um término prefixado.
Mas os incrédulos desdenham as admoestações que lhes
são feitas.
4 Dize-lhes: Porventura, tendes reparado nos que invocais,
em lugar de Deus? Mostrai-me o que têm criado na terra!
Têm participado, acaso, (da criação) dos céus?
Apresentai-me um livro, revelado antes destes, ou um
vestígio de ciência, se estiverdes certos.
5 Porém, haverá alguém mais extraviado do que quem
invoca, em vez de Deus, os que jamais o atenderão, nem
mesmo no Dia da Ressurreição, uma vez que estão
desatentos à sua própria invocação?
6 E quando os humanos forem congregados, serão (os
invocados) seus inimigos e negarão a sua adoração.
7 E, quando lhes são recitados os Nossos lúcidos
versículos, os incrédulos dizem, da verdade que lhes
chega: Isto é pura magia!
8 Ou dizem: Ele o forjou! Dize-lhes: Se o forjei, nada
podereis obter de Deus para mim. Ele conhece, melhor do
que ninguém, o que tentais difamar. Basta Ele por
Testemunha, entre vós e mim. E Ele é o Indulgente, o
Misericordiosíssimo.
9 Dize-lhes (mais): Não sou um inovador entre os
mensageiros, nem sei o que será de mim ou de vós. Não
sigo mais do que aquilo que me tem sido revelado, e não
sou mais do que um elucidativo admoestador.
10 Dize: Vede! Se (o Alcorão) emana de Deus e vós o
negais, e mesmo um israelita confirma a sua
autenticidade(1488)
e nele crê, vós vos ensoberbeceis! Sabei
que Deus não ilumina os iníquos!
11 E os incrédulos dizem aos fiéis: Se esta mensagem(1489)
fosse uma boa coisa, (tais humanos) não se teriam
antecipado a nós. E como não se guiam por ela, dizem:
Isto é uma antigo falsidade!
12 Porém, antes deste, já existia o Livro de Moisés, o qual
era guia e misericórdia. E este (Alcorão) é um livro que o
corrobora, em língua árabe, para admoestar os iníquos, e é
alvíssaras para os benfeitores.
13 Aqueles que dizem: Nosso Senhos é Deus, e
permanecem firmes, não pensa por quanto houverem feito.
14 Estes serão os diletos, do Paraíso, onde morarão
eternamente, em recompensa por quanto houverem feito.
15 E recomendamos ao homem benevolência para com os
seus pais. Com dores, sua mãe o carrega durante a sua
gestação e, posteriormente, sofre as dores do seu parto. E
de sua concepção até à sua ablactação há um espaço de
trinta meses(1490)
, quando alcança a puberdade(1491)
e,
depois, ao atingir quarenta anos, diz: Ó Senhor meu,
inspira-me, para praticar o bem que Te compraz, e faze
com que minha prole seja virtuosa. Em verdade, convertome
a Ti, e me conto entre os muçulmanos.
16 Tais são aqueles dos quais aceitamos o melhor do que
têm feito, e lhes absolvemos as faltas, (contando-os) entre
os diletos do Paraíso, porque é uma promessa verídica,
que lhes foi anunciada.
17 E há quem diga aos seus pais: Que vergonha para
ambos! Pretendeis, porventura, prometer-me que serei
ressuscitado, sendo que gerações anteriores a mim têm
passado (sem renascer outra vez)? E ambos interpelarão
Deus, (e reprovarão o filho): Ai de ti! Crê, porque a
promessa de Deus é infalível! Porém, ele lhes diz: Estas
não são senão fábulas dos primitivos!
18 Tais são aqueles que mereceram a sentença,
juntamente com os seus antepassados, gerações de
gênios e humanos, porque foram desventurados.
19 E para todos haverá graus, segundo o que fizeram,
para que Ele lhes pague pelas suas recompensas, e para
que não sejam defraudados.
20 E no dia em que os incrédulos forem colocados perante
o fogo, (ser-lhes-á dito): Aproveitastes e gozastes os
vossos deleites na vida terrena! Hoje, porém, sereis
retribuídos com o afrontoso castigo por vosso
ensoberbecimento e depravação na terra.
21 Menciona-lhes o irmão de Ad (Hud), que admoestou o
seu povo nas dunas(1492)
, embora já tivesse havido
admoestadores antes e depois dele (que lhes disseram):
Nada adoreis além de Deus, porque temo por vós o castigo
do dia aziago.
22 Disseram-lhe: Vieste, acaso, para desviar-nos das
nossas divindades? Se és um dos verazes, envia-nos a
calamidade com que nos ameaças!
23 Respondeu-lhes: O conhecimento (disso) só está nas
mãos de Deus! Eu vos proclamo a missão que me tem sido
encomendada; porém, vejo que sois um povo insipiente!
24 Mas quando viram aquilo (o castigo), como nuvens,
avançando sobre os seus vales, disseram: Esta é uma
nuvem de chuva! Retrucou-lhes: Qual! É a (calamidade)
que desejastes fosse apressada; um vento que encerra um
doloroso castigo!
25 Arrasará tudo, segundo os desígnios do seu Senhor! E,
ao amanhecer, nada se via, além (das ruínas) dos seus
lares. Assim castigamos os pecadores!
26 Em verdade, estabelecemo-los naquilo que não vos
estabelecemos (ó coraixitas). E os dotamos de audição, de
visão e de intelecto; porém, de nada lhes valeram os seus
ouvidos, as suas vistas e as suas mentes, porque negaram
os versículos de Deus e os envolveu aquilo de que
escarneciam.
27 (Ó maquenses) Destruímos as cidades que vos
rodeavam, e lhes diversificamos os sinais, para que se
convertessem.
28 Por que, então, não os socorreram as divindades que
haviam adotado, além de Deus, para aproximá-los d’Ele?
Qual! Eles se extraviaram, mas tamanha foi a sua falsidade
e a sua invenção.
29 Recorda-te de quando te enviamos um grupo de gênios,
para escutar o Alcorão. E quando assistiam à recitação
disseram: Escutai em silêncio! E quando terminaste a
recitação, volveram ao seu povo, para admoestá-lo.
30 Disseram: Ó povo nosso, em verdade escutamos a
leitura de um Livro, que foi revelado depois do de Moisés,
corroborante dos anteriores, que conduz o homem à
verdade e ao caminho reto.
31 Ó povo nosso, obedecei ao predicador de Deus e crede
nele, pois (Deus) vos absolverá as faltas e vos livrará de
um doloroso castigo.
32 Quanto àqueles que não atenderem ao predicador de
Deus, saibam que na terra não poderão frustar (os
desígnios de Deus), nem encontrarão protetores, em vez
d’Ele. Estes estão em um evidente erro.
33 Não reparam, acaso, em que Deus, que criou os céus e
a terra sem Se esforçar, é capaz de ressuscitar os mortos?
Sim! Porque é Onipotente.
34 E no dia em que os incrédulos forem colocados perante
o fogo (ser-lhes-á dito): Acaso, não é isto Verdade?
Responderão: Sim, por nosso Senhor!
35 Persevera, pois, como o fizeram os inflexíveis, entre os
mensageiros, e que foram ameaçados, pensarão não
haver permanecido (no mundo terreno) mais do que uma
hora de um só dia. Eis aqui a Mensagem!(1492-a)
Porventura,
serão aniquilados outros, além dos depravados!